Artigos do Professor Marins e textos discutidos nos Programas de TV

A ANSIEDADE MATA A VENDA

A ANSIEDADE MATA A VENDA

 

Luiz Marins

 

Chego no balcão e sou prontamente atendido pelo vendedor. Quando eu comecei a dizer a ele o que eu queria, chegou um outro cliente e ficou ao meu lado. Imediatamente o vendedor virou-se para esse outro cliente e disse: “ – Um momento eu já vou atendê-lo”. O vendedor voltou-se para mim e disse: “ – Pois não, desculpe, o que mesmo o senhor deseja?”. Quando comecei novamente a dizer o que queria chegou um terceiro cliente. O vendedor me pediu licença e dirigiu-se ao terceiro cliente e disse: “ – Um momento eu já vou atendê-lo”. Voltou-se novamente para mim, pediu desculpas e disse: “ – Pois não, vamos lá então...”.

            Desde o momento da chegada do segundo cliente, eu percebi pelos olhos, pelo jeito e comportamento do vendedor que ele não estava prestando a mínima atenção ao que eu estava dizendo. Ele estava preocupado em não perder os outros dois clientes ao meu lado. A cada dois minutos, enquanto eu tentava explicar o que queria, ele virava-se para os dois clientes e dizia:         “ – Só mais um momentinho que já vou atendê-los”. E novamente voltava-se para mim querendo que eu fosse o mais rápido possível.

            Quando percebi que ele estava mais preocupado em vender para os outros dois clientes do que ouvir o que eu queria, acredite, chegou um quarto cliente, contando comigo. E ele novamente virou-se para essa quarta pessoa e disse: “ – Um momento e eu já vou atendê-lo”.

            Não tive outra reação a não ser me despedir e ir embora sem comprar. Fiquei por uns minutos na porta da loja observando. Ele fez a mesma coisa com os demais clientes. Não ouviu nada do que eles lhe diziam e a cada instante virava-se para os demais e dizia: “ – Só mais um momentinho que já vou atendê-los”. Pouco tempo depois, todos os clientes saíram da loja sem comprar.

            O que aconteceu? Ocorreu que a ansiedade de querer vender para todos os clientes que chegavam fez com que ele não vendesse para nenhum. Todos os clientes com quem conversei disseram que viam nos olhos do vendedor que ele não estava ouvindo nada do que diziam. Ele queria vender para o “outro” e o “outro” e o “outro” e assim não vendeu para ninguém! Na ânsia de querer ganhar comissão de vendas, sozinho, ele não deixava que outros colegas atendessem os novos clientes que chegavam. Ele queria tudo para ele. Não vendeu. Não ganhou nada.

            Será que isso que aconteceu comigo e acontece todos os dias, com dezenas de clientes e vendedores, também não está acontecendo conosco em nossa vida pessoal e profissional?

            Seja em vendas ou no que for que façamos, será que nossa ansiedade não está nos impedindo de vencer, de atingir nossos objetivos? Será que não estamos fazendo uma tarefa qualquer, pensando o tempo todo na próxima, na próxima e na próxima sem prestar atenção ao que estamos fazendo no momento? E tudo sai mal feito? E tudo é feito pela metade, sem qualidade?

            Assim como a ansiedade matou a venda, poderá “matar” você também, tanto pessoal como profissionalmente. Faça as coisas, uma de cada vez, com sentimento de fazer, prestando toda a atenção aos detalhes e com comprometimento. Ouça as pessoas. Olhe nos olhos. Seja rápido, mas eficaz! “Pressa” não é rapidez. Deixe os outros ganharem aquilo que você não pode ganhar. Só assim você vencerá! Perca a ansiedade!

            Nesta semana, pense nisso. Boa semana. Sucesso!

Enviar para DiggEnviar para FacebookEnviar para Google PlusEnviar para TwitterEnviar para LinkedIn

Informações Adicionais