Artigos do Prof. Marins e textos dos programas de TV

Assuntos Polêmicos

 

ASSUNTOS POLÊMICOS

 

Luiz Marins

 

Como tratar de assuntos polêmicos na empresa?

Embora o termo “assuntos polêmicos” seja muito abrangente, é fácil saber que há assuntos que temos que tratar com muito cuidado.

Assuntos polêmicos podem ofender pessoas, criar divisões e rupturas. Se não soubermos tratar esses temas poderemos criar muitos problemas.

Assim, quando o assunto polêmico se refere ao trabalho, à qualidade do produto ou serviço, à reclamações de clientes, ao relacionamento com fornecedores, ele deve e tem que ser tratado com franqueza, assertividade, embora sempre, é claro, com polidez, educação e respeito.

Há porém, assuntos polêmicos desnecessários, que nada têm a ver com a empresa, com produtos ou serviços e menos ainda com o nosso relacionamento com clientes e fornecedores. Esses podem e devem ser evitados.

Conheço pessoas que têm o hábito de discutir assuntos polêmicos no ambiente de trabalho criando desarmonia e confusão sem nenhuma necessidade.

Assim, discutir suas preferências políticas, religiosas, suas opiniões sobre dietas alimentares e outros temas que sempre dependerão da escolha pessoal de cada um, devem ser evitados no ambiente profissional, pois poderão afetar a produtividade, o clima empresarial e a própria motivação.

Isso exige de cada um de nós, uma grande dose de civilidade, de respeito às opiniões alheias, de polidez, de consciência dos desafios de trabalhar com pessoas diferentes de nós.

Temos que nos lembrar que podemos trabalhar civilizadamente com pessoas que não pensam como nós, sem termos que concordar com essas opiniões que nada têm a ver com o trabalho. Mas para que isso seja possível, temos que saber evitar os assuntos polêmicos, repito, que não se refiram ao trabalho.

Reafirmo, porém, que quando se trata de temas que afetam o lado profissional, do trabalho, da empresa, não podemos ter medo de enfrentar a realidade, discutir, argumentar, dar nossa opinião franca e sincera, por mais difícil que possam ser nossos interlocutores.

Pense nisso. Sucesso!

Enviar para DiggEnviar para FacebookEnviar para Google PlusEnviar para TwitterEnviar para LinkedIn

Informações Adicionais